Balanço geral

Meu ano foi feliz.

Essa é a conclusão que chego nessas alturas. Consegui ter uma experiência muito feliz no aprendizado da língua alemã e pela primeira vez eu consegui sair de zero para um nível de aprendizado palpável, efetivo em uma habilidade de médio prazo. Isso é um resultado do qual me orgulho muito. Claro que ainda não sou fluente. Mas já dá pra tirar uma onda. 😉

Por outro lado gostaria de ter meditado mais e escrito aqui mais também.

A questão é que um compromisso individual é mais difícil de priorizar que um coletivo. E um compromisso que exija frequência vez por outra é remarcado. Para isso não tem remédio.

Pois bem, e o que eu faço com tudo isso? 2015, obóvio.

Quero um ano harmonioso, sereno, divertido e muito produtivo.

Figurinhas de futebol e os processos analógicos do século passado

E a minha filha me pediu um álbum de figurinhas da copa. E álbum tem graça se estiver completo, ne?

Mas pra completar tem que rolar troca de figurinhas. Você lembra como se troca figurinha? Elas precisam estar em ordem. E pra colocar em ordem não tem um botão ‘ordenar’. Tem que ser um por um.

Enfim, eu achei uma situação do século passado. Adorei ter essa experiência. Criei metodos e até pensei em um clubinho de troca…

Agora, seria bom o BrasIl ganhar a Copa…

Rotinas, elas são do bem

A um tempo atras eu detestava rotinas. E detestava me programar. Saber o que ia acontecer amanhã, no dia seguinte, semana que vem, mês que vem? Ai, que tédio! Com é bom o inesperado, o sem programa, o que acontece sem que a gente tenha planejado…
Até que tive filhos! Sim, isso muda tudo. Na hora que um neném aparece na sua vida, rotina se transforma numa coisa abençoada! Mas isso eu só fui descobrir depois dos primeiros meses… (fica a dica para quem estiver grávida! Neném + rotina = maternidade mais feliz e tranquila). Mas, independente de ter ou não filhos, ter uma rotina pela manhã e uma à noite é bom e faz bem. E se eu quiser mudar e não fazer o que estava planejado, sem neuras. A rotina vai continuar lá para ser seguida quando eu decidir voltar a ela.
Como eu comecei
Ano retrasado eu tive que me mudar para um apartamento muito menor que o que eu morava. E apartamento pequeno é sempre mais propenso a ficar bagunçado, pela simples razão que não dá pra esconder a bagunça. Então eu vi que se não tivesse um plano de ataque, eu seria engolida pela bagunça e provavelmente enlouqueceria. Então comecei a ler a respeito (valeu mesmo Thais e Rita!) e montei um esquema para as minhas manhãs e noites. Anotava numa folha de papel tudo (tipo tudo mesmo!) que eu tinha que fazer, em ordem do que tinha que fazer. E todo dia de manhã eu ia fazendo e marcando. De noite a mesma coisa. E, à medida que eu notava alguma necessidade de alteração, seja porque eu não precisasse fazer determinada coisa todos os dias, seja porque eu sentia falta de fazer alguma coisa, alterava aquele esqueminha. E assim, minha rotina foi se adequando às minhas necessidades.
Hoje
Meus rituais matinais e noturnos já estão arraigados como hábitos (é tão bom constatar isso!!!) e como minha filha fala: “quando a gente começa a fazer todo dia uma coisa que dá trabalho, a gente passa a fazer cada vez mais rápido e depois de um tempo a gente nem pensa mais nela. Ela nem dá tanto trabalho assim.”. (Meu orgulho!!!)
Meu ritual da manhã inclui algumas atividades ligadas ao Yoga (jala netioil pulling, beber água morna com limão e a prática de algumas asanas). Isso acorda o meu corpo de forma tranquila e serena. Em seguida, faço o café e arrumo a mesa de café-da-manhã. Seguindo a dica da Thais, já deixo uma bandeja na geladeira com as coisas de geladeira e outra sobre a pia da cozinha com pratos, copos, xícaras, faca, etc. Depois que comecei a fazer isso, minha vida de manhã foi muito mais linda e feliz! Enquando a água tá fervendo, eu só faço pegar as bandejas (uma após a outra) e levar para a mesa, dispor os itens e tcharãaaaam! Tudo pronto em menos de 3 minutos! Nessa altura, acordo minha filha e vou me aprontar. Como já deixei roupa, sapato, bijux e demais mulhersices arrumadinhas no dia anterior, tudo acontece em menos de 15 minutos, entre banho, make-up, vestir e calçar. Em seguida, acordo minha filha de novo (ela puxou a mãe, adooora dormir) e vamos todos tomar café-da-manhã. Eu sou uma pessoa que dá muito valor a refeições à mesa e com toda a família! Na sequencia, apronto a pessoinha e seguimos caminho para escola e trabalhos.
De noite, a primeira coisa que eu faço é ajudar a minha filha com a mochila da escola. Isso já virou hábito, tanto que nem dá mais trabalho! Rango, lavar pratos, arrumar coisas para o dia seguinte, ler um pouquinho, meditar e… ZZZZZZZ

 

Como começar a semana com o pé direito

Ano passado eu encarei um desafio daqueles, a construção da minha casa.  Durante 6 meses eu e meu companheiro simplesmente tivemos que fazer a coisa acontecer. E algumas estratégias que montamos para o gerenciamento da obra permanessem até hoje em nosso dia-a-dia:

Reunião da semana
Todo início da semana, ou final da semana anterior, a gente repassa o que fizemos na semana anterior e definimos o que tem que ser feito. Assinalamos também se temos alguma coisa importante,  compromisso em horário diferente do normal, médico, dentista, etc. Eu monto um calendário numa folha A4 que deixo no quadro de papéis na entrada da casa e todo dia, quando a gente chega, já coloca chave, bolsa, etc, e dá uma olhadinha no que nos espera para o dia seguinte. Essa reunião dura cerca de 15 minutos e faz com que comecemos a semana antenados e serenos.

Preparando a semana para um possível bomba atômica
A ideia aqui é: não preciso nem pensar nas questões básicas de sobrevivência. Esse conjunto de providências simples faz com que a gente consiga seguir em piloto automático sem precisar pensar todo dia no que vai comer ou vestir nos dias da semana. É especialmente útil para aquela semana mais puxada em que você sabe que não vai ter muito tempo para nada.

Roupas
Antes de tudo, começar a semana com roupa limpa e passada. Durante a semana lavamos as roupas conforme a nossa disponibilidade. E o sábado ou o domingo é dia de revesamento no ferro de passar. Metade eu e a outra metade meu companheiro. Depois de tudo cheirosinho e passadinho fica mais fácil seguir. Consulto a meteorologia (geralmente vou no climatempo) e a minha agenda de compromissos e, conforme for, separo as roupas da semana toda. É pensar muito adiante? Talvez, mas se eu quiser trocar algum look que já tenha montado, posso fazer isso na noite anterior. Senão, nem preciso pensar mais nisso por uma semana inteira!

Comida
A comida eu trato da seguinte forma: no sábado faço uma geral nos armários e geladeira e faço uma listinha do que está faltando. Pergunto pro povo lá de casa se tem alguma coisa que eles estejam com “desejo” de comer e anoto os ingredientes necessários. Como levo comida duas vezes por semana para o trabalho, e como é sempre salada (para não ter que esquentar e porque é mais levinho, faço a conta de quanto vou precisar para esses 2 almoços também. Seguindo para as comprar, tento me ater à lista mas sem neuras. Se tiver algum item em promoção ou alguma fruta da estação que eu esqueci de anotar, posso fazer essa mudança sem problemas. Em casa, geralmente já deixo um feijão e molho de tomate caseiro no congelador. Lavo as frutas. Para quem não tem o costume de pensar um cardápio semanal esse post ajuda.

Agenda
Agenda é outra coisa que eu me acostumei a usar e depois que descobri que é do bem, amei para toda a eternidade!!! Provavelmente se eu tivesse sido ensinada a ter agenda desde cedo, minha vida teria sido muito mais tranquila. Depois da reunião da semana, eu passo tudo o que é de minha responsabilidade para a minha agenda pessoal e dou data e horário. Já usei o método de tarefas, mas senti que as coisas importantes precisam ser agendadas como se fossem compromissos. Ao fim/início da semana, quando estamos fazendo nossa reunião, já reporto o que fiz e o que ficou pendente. Ter uma agenda e usá-la sempre que tiver que guardar uma data de algum compromisso é uma que faz a vida ficar mais tranquila.

 

Limpando a poeira e retomando o ritmo

Eita que faz tempo, viu? Faz tempo que eu não escrevo aqui… Mas vamos tirar a poeira e retomar o ritmo.
Acho que o fato de ter colocado o hábito do yoga como o próximo ponto de atenção e não ter conseguido mantê-lo pelo mês de abril deu uma esfriada no hábito da escrita. Outras coisas que influenciaram:
  • não ter uma programação de temas para abordar no blog
  • não ter um planejamento de horários para escrever todo dia
  • não ter um computador à minha disposição em casa para escrever quando quiser
  • ter tido um mês de abril com muitas aventuras 🙂
A boa notícia é que cada problema é uma oportunidade para uma melhoria. E, ponto a ponto, vamos construindo as melhorias necessárias para retomar os hábitos propostos. Assim, vamos começar pela melhor parte: os hábitos que não se abalaram. Meditar todo dia e a alimentação. Tanto um como o outro estão firmes e fortes. Todos os dias eu tenho sentido necessidade de meditar! E toda semana a alimentação é cuidada com carinho e atenção. Muito bom! Ponto para as meninas!!!
Agora, vamos ver o que precisa melhorar. A programação de temas é a minha primeira providência. Vou fazer uma listinha de assuntos para abordar durante o mês. Outra coisa que eu quero fazer é estabelecer um horário. Já tinha tentado escrever de manhã. Foi muito bom, mas eu tenho que acordar mais cedo. Quanto ao computador, preciso acertar umas coisas, mas eu acho que o problema está quase resolvido. E as aventuras… bem, abril tá quase no fim.
É como eu sempre digo: “um dia após o outro e uma noite no meio para a gente descançar”!

Origami em tecido

E está instaurado um novo vício! Origami em tecido, ou orinuro.

Para quem não conhece, origami é a arte de fazer dobraduras em papel. Eles acabam se transformando em pequenas esculturas. E então outro dia eu vi um curso (gratuito no dia, pago hoje para quem se interessar) de uma especialista chamada Thais Kato. Ela conta que durante uma época da vida teve que dar uma guinada por um problema de saúde com uma parente, como sobrava tempo livre, se dedicou a aplicar a arte do origami em tecidos, criando assim várias peças utilitárias. Thais tem um incrível bom gosto e um senso estético muito apurado. Suas peças são muito lindas e a aula foi bastante inspiradora.

Durante a aula rolava um chat onde uma das alunas teve a brilhante ideia de criar um grupo no facebook. Lá estão compartilhados vários tutoriais.

Enfim, moral da história, digo que foram vários presentinhos (carteiras, bolsinhas, porta-cartões e outros mimos). Meus fins-de-semana tem sido cheios de arte desde a aula da Thais.

Quatro hábitos adquiridos! Viva!!!

Posso dizer que o desafio dos 12 hábitos está realmente me mudando de uma maneira muito profunda!

Estou meditando (praticamente) todos os dias e não lembro de ter recorrido à pizza do desespero (aquela que você pede quando não tem nada na geladeira). Tenho feito listas semanais e abastecido regularmente a geladeira e a despensa. E não sobra quase nada de uma semana para outra. Outra coisa legal é que o blog não está abandonado! Mesmo que não com a frequencia que eu gostaria, estou atualizando e escrevendo aqui. Ou seja, os hábitos adquiridos estão se mantendo.

Acredito que parte disso se deve ao compromisso “público” que eu acabei assumindo quando resolvi começar o blog.  Eu disse que iria registrar aqui os meus avanços. Se não tivesse avanço nenhum eu ia ficar de cara grande!

Mas estava pensando que outra parte se deve ao fato desses hábitos serem aqueles projetos que eu sempre quis fazer e nunca levei a sério. Até hoje, claro! Eu sempre quis escrever com regularidade, mas não tinha disciplina. Sempre precisei me alimentar bem, mas não me organizava para isso. Sempre queria meditar mas não criava a memória necessária para avançar.

Mas posso dizer agora que nem é tão dificil assim. O mais difícil é querer. Isso sim dá um trabalhão! Querer é um movimento interno, não basta achar aquilo importante. Precisa achar que você realmente pode fazer aquilo virar realidade. Merece aquilo que você quer. Precisa achar que é possível. Para isso, eu, que ainda não acredito em qualquer coisa, preciso criar estratégias para aquilo que eu quero dar certo. O blog, notei que foi uma das estratégias bem-sucedidas.

E agora vou praticar yoga…